No início de 1970 Madeleine Collinson alcançou um status de musa, pelo menos entre os meninos que estavam saindo da adolescência, depois de estrelar o filme de terror Twins of Evil e posar nua para a revista Playboy, junto com sua irmã gêmea idêntica Maria. Madeleine e Mary Collinson nasceram na cidade de Sliema, em 1952.
Elas foram para a Inglaterra em 1969, na esperança de seguir a carreira de modelo, e depois de alguns anos, já eram capa da Playboy e tinham papéis de destaque no filme da Hammer ao lado de outra lenda Peter Cushing.
Os produtores de cinema pareciam interessados nelas apenas como dupla no filmes e quase sempre tiveram que tirar a roupa. Elas desapareceram de repente, como chegaram, embora Twins of Evil tenha adquirido o status de um clássico.
Elas os criticos diziam que elas tinham seios grandes para ser modelo, mas garantiu vários pequenos papéis em filmes.
Muito do seu apelo estavam em suas aparências exóticas e Sensuais e o fato de que elas eram gêmeas e tinham uma intimidade singular, independente de estarem vestidas ou nuas.
Elas conheceram Victor Lownes, que dirigia as operações europeias da Playboy, em uma festa e foram convidadas a posar para a revista. Em seu perfil na Playboy elas revelaram que eles gostaram grandes aviões, carros e os Rolling Stones. E em seu tempo de lazer, ler, jogar squash, caminhar e nadar no mar”.
A Hammer tinha revivido o gênero de terror com seus filmes Frankenstein e Drácula no final de 1950, mas à esta altura, o estúdio estava à procura de novas maneiras de apimentar o gênero. E a Hammer descobriu uma fórmula perfeita com as sensuais jovens vampiras, The Vampire Lovers, estrelado por Ingrid Pitt, veio em 1970. Twins of Evil seguido em 1971, mas com duas protagonistas idênticas Frieda e Maria, que são órfãs e vão viver com seu tio (interpretado por Peter Cushing).
Ele foi um dos melhores filmes da Hammer do período e é justamente considerado um clássico.